segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Paixão ou Interesse ?

            Sejam muito bem vindos, fiquem à vontade! Hoje falaremos um pouco sobre a mudança de alguns conceitos no mundo da bola do século XX para o século XXI. Futebol ainda é paixão ou virou definitivamente um espetáculo de fins lucrativos?


            Na partida válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro de 2011, tivemos um dos jogos mais aguardados do ano: Grêmio x Flamengo (no estádio Olímpico). Durante toda a semana, os principais jornais esportivos estamparam a mágoa, a indignação e de certa forma o "nojo" que os torcedores gremistas sentem por Ronaldinho Gaúcho.

 Como todos sabem, no início deste ano tivemos uma grande vitória do Flamengo fora das quatro linhas, trata-se da contratação de um dos maiores jogadores de futebol dos últimos dez anos. Investimento este que muito provavelmente traria um bom lucro ao time rubro-negro, o que foi comprovado com o título carioca, e com um forte investimento no setor de marketing do clube utilizando a imagem do jogador (o que na verdade demorou para acontecer). Entretanto, um dos clubes que também estavam tentando a contratação do jogador era o Grêmio de Porto Alegre. Esta segunda equipe contava com um possível "sentimento" de Ronaldinho Gaúcho para concretizar a contratação do jogador, tendo em vista que o Grêmio foi o clube que o projetou como jogador profissional. Porém, isso não aconteceu. O meia-atacante optou por jogar no rubro-negro carioca, visando talvez uma exposição maior no cenário nacional e principalmente mundial. Estima-se que o Flamengo seja um dos clubes brasileiros com maior exposição internacional, talvez por isso o jogador tenha optado pelo clube, por não esconder também que pretendia recuperar o bom futebol para poder aparecer novamente na mídia e conseguir voltar para a seleção brasileira. E não deu outra. 

Por parte do clube gaúcho isso foi tomado como uma tremenda falta de ética. E o jogo entre as duas equipes no último domingo foi encarado como um verdadeiro "GreNal", ou uma final de Copa do Mundo. Durante toda a semana foram criados inúmeros meios de provocar e ostilizar o jogador. Criou-se um clima de traição por parte do jogador com o clube de Porto Alegre. Mas vamos direto ao ponto. Traição? Por que?


           Atualmente, acompanhamos muitos casos de jogadores que saem de um clube para o exterior e quando voltam, optam por outro clube brasileiro e sofrem até ameaças físicas. Se pararmos para citar alguns exemplos não dará, definitivamente, para terminar este post. Salvo algumas exceções. O volante Renato, recentemente contratado pelo Botafogo do Rio de Janeiro, saiu do país negociado pelo Santos, e neste ano foi disputado pelo próprio Santos e pelo Botafogo, optando pelo clube carioca. Nem por isso criou-se um protesto generalizado sobre o jogador. Há quem diga "Mas o Renato não é um jogador com o status do Ronaldinho". Fato! Entretanto, na história do futebol brasileiro temos vários exemplos de jogadores que foram ídolos em determinados clubes, saíram destas equipes, jogaram em outros clubes brasileiros e nem por isso seus fãs e torcedores tiveram tal postura. Garrincha é um bom exemplo. Ídolo incomparável do Botafogo, também jogou pelo Corinthians, e embora muitos não saibam, também jogou pelo modesto, porém tradicionalíssimo, Olaria. Bebeto também jogou por mais de um cube do Rio de Janeiro. Um dos mais recentes e de maior expressão foi o caso de Romário. Jogou por todos os clubes grandes do Rio de Janeiro com exceção do Botafogo. 
            O jogador de futebol é um profissional. Assim como um médico, um professor, um engenheiro, ou qualquer outro profissional, e tem o direito de escolher onde quer trabalhar. Muito se fala do amor ao clube, mas o fato de um profissional do futebol escolher jogar por mais de um clube do mesmo país não quer dizer que ele é um mercenário, um ingrato ou um "pilantra". De todos estes exemplos que citei, nenhum deles perdeu sua importância dentro de cada clube em que passou. Só resta saber o por que dessa situação estar perdendo completamente seus conceitos e valores.
Por hoje é só. 
Até a próxima!

4 comentários:

  1. Concordo plenamente que o jogador de futebol deve ser visto, acima de tudo, como um profissional, que tem total direito de escolher em que ambiente quer trabalhar, com quem, com qual salário, em tais condições e etc. Porém, creio que muito dessa manifestação gerada em torno do Ronaldinho tem uma certa base. Por mais que ele não seja obrigado a jogar pelo Grêmio, apenas pelo fato de ser o time que o revelou, o ambiente que ele deixou no clube, após seu abandono para o Paris Saint-Germain, frustou muitos torcedores, que esperavam sua volta para recompensá-los. Além disso, o próprio jogador disse que, voltando ao Brasil, jogaria pelo Grêmio "até de graça". Assim, é possível entender esse sentimento de traição que nasceu nos gremistas que, porém, foi exteriorizado de forma agressiva e injustificada.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir