sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Calendário Nacional

            Sejam muito bem vindos! Depois de um período sem poder postar novas análises para vocês, devido a compromissos pessoais, voltamos com um assunto que tem gerado certos desconfortos nos clubes brasileiros, o calendário das competições anuais.
No calendário "comum" da maioria dos clubes brasileiros existem as seguintes competições: Estaduais, Libertadores da América, Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro, Sul-Americana. Sem falar que em determinadas situações alguns clubes disputam a Recopa e até mesmo o Mundial ao fim do ano, entretanto esses dois não interferem muito, pois o principal desconforto é causado por competições que ocorrem simultaneamente, "atrapalhando" o rendimento da equipe em uma das competições, ou até mesmo em todas que estiver disputando "ao mesmo tempo".

 O grande diferencial são os clubes que conseguem manter um plantel de jogadores de alto nível em campo e no banco de reservas, mantendo o padrão de qualidade em suas peças de reposição, posso citar (sem medo) como exemplo deste ano a equipe do Corinthians (embora não tenha obtido sucesso nas competições internacionais, manteve o padrão de qualidade independente dos desfalques nos jogos) e o Vasco da Gama (indiscutível). Porém, nem todas as equipes conseguem manter um planejamento ideal de acordo com suas condições administrativas e financeiras. A CBF anunciou recentemente que a partir de 2013, as equipes classificadas para a Copa Libertadores da América, poderão sim disputar a Copa do Brasil do mesmo ano... Mas será possível que isso é, humanamente falando, viável?
            O campeonato carioca de 2012, ao que tudo indica, tem tudo para ser no mínimo um dos mais "diferentes" de todos os tempos, com a possibilidade de contar com os quatro clubes grandes do Rio na Libertadores (embora a chance do Botafogo se classificar seja mínima), o que podemos esperar desta competição? Não estou aqui para dizer que as equipes pequenas são nulas, porém toda a beleza de um time do interior desbancar uma potência do futebol nacional, corre grande "perigo".
            Só nos resta aguardar e torcer para que haja bom senso nos organizadores das competições anuais, até porque, toda essa carga de jogos prejudica, e muito, a condição física dos atletas. O profissional de futebol não é uma máquina!  Um abraço e até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário