quarta-feira, 26 de setembro de 2012

"Neymar-dependência"


Até que ponto os títulos escondem a verdade? Ser campeão significa que o clube está preparado e sólido? O Santos recebe a La U no Pacaembu, às 19h desta quarta feira, para decidir o campeão da Recopa 2012.
A torcida santista, desde 2010, não sabe o que é passar uma temporada inteira sem soltar o grito de campeão. Nos últimos três anos foram alguns títulos estaduais, uma Copa do Brasil e uma Libertadores. Em 2012, o alvinegro praiano passou por uma série de mudanças que transformaram o estilo de jogo e o perfil da equipe atuar. Isso se dá porque peças que eram importantes foram negociadas, como Elano e Borges por exemplo. O caso de Paulo Henrique Ganso é diferente, o meia sofreu com lesões e consequentemente sentiu dificuldades para mostrar o futebol que chamou a atenção do Brasil e do mundo, e agora, foi vendido para o São Paulo após uma demorada "novela" para concretização da transferência. Mediante à este "desmanche", levando em consideração que eram peças fundamentais, restou a Neymar ser a referência, o homem gol e, agora, também o garçom para seu antigo-novo amigo André. O que temos visto nos jogos do Santos é uma gritante diferença entre as partidas com e sem ele. Logicamente, qualquer time jogaria melhor com um jogador como ele em campo, entretanto, o time da Vila Belmiro tronou-se dependente do menino. Na partida de hoje, ele joga, e caso venha o título, esta verdade poderá ficar mais um tempo omitida. Mas até quando?

Nenhum comentário:

Postar um comentário