domingo, 4 de novembro de 2012

Nada mudou


Na partida entre Botafogo x Palmeiras em Araraquara, tomando por base últimos confrontos diretos, nada mudou. A posição de ambos na tabela permaneceu a mesma e "o cara" do confronto, como já era esperado, o mocinho-vilão das tramas Hernán Barcos. Candidato a herói na tentativa de livrar o alviverde do rebaixamento e arqui-inimigo por, praticamente, esgotar as chances do time carioca conquistar uma vaga na Libertadores.


Jogar contra um time, seja ele grande ou de menor expressão, que esteja lutando contra a "degola", não é tarefa fácil. O Botafogo sabia disso e baseou-se neste pensamento a semana inteira para enfrentar o Palmeiras. Parece não ter dado certo. Não é novidade para o botafoguense ver seu time abrir o placar e logo em seguida sofrer o empate, já parece clichê. Talvez venha por essas e outras toda a superstição da torcida alvinegra. Três oportunidades claras, por bobeadas da defesa adversária, foi o que Hernán Barcos precisou para fazer dois gols e garantir um empate heroico para o Palmeiras, que no momento do segundo gol perdia por 2x1, levando às lágrimas a maioria de seus torcedores presentes ao estádio. Jogo empatado, graças a Barcos e, para a torcida do time de General Severiano, graças à substituição mal feita por Oswaldo. Surge um herói, surge um vilão, objetivos distintos sendo influenciados pelo mesmo homem. Faltando quatro rodadas, para ambos, nada mudou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário