segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Fachada


Está cada vez mais contestada e parece não querer mudar. A organização do modelo e da premiação do campeonato brasileiro não agrada aos torcedores. Sendo que é exatamente para eles que deveria ser feito o espetáculo. Nos últimos anos muito se falou sobre o "tom" da festa, parecia não ter alcançado seu objetivo. Este ano conseguiu se superar.


Quando acham que não dá para ser pior, vem a surpresa. Uma premiação digna de um teatro. Pois foi exatamente o que se viu por parte dos organizadores do evento. Uma verdadeira encenação. Em um momento que deveria ser de glória para os campeões e craques da competição, quem assistiu a festa foi obrigado a ver a "elite" forçar a barra para "endeusar" pessoas que deveriam estar longe do palco. Por que? Todos os títulos definidos com antecedência. E não se trata do título do Flu, mas das premiações individuais. Será que nem a surpresa de anunciar o melhor de cada posição no ato tiveram o cuidado de manter? Tudo antecipado, uma verdadeira peça teatral. Jogadores, técnicos e torcidas aplaudindo por educação e apenas por isso, demonstrando surpresa a cada troféu que foi entregue. Falava o mestre de cerimônia e uma apresentação de dança sob trilha sonora de extremo mal gosto, tomando por base o tema principal que é o futebol, chamava a atenção. Sertanejo universitário, musica preferida de grande parte dos jogadores, tocadas em forma de música clássica? Pobre campeonato brasileiro. Globolinha? É uma iniciativa lega, mas empurrá-lo para nós "goela a dentro" não dá! Triste. Não tirou o brilho da conquista do tricolor carioca. Ainda bem. Mas ainda assim, devolvam nosso torneio, o Brasileirão que tanto era amado. Acabar com uma das maiores paixões nacionais não é difícil, o caminho é este.

Nenhum comentário:

Postar um comentário