domingo, 2 de junho de 2013

Papéis invertidos



O Maracanã finalmente voltou, aliás, um novo estádio chegou. O velho Maraca, jamais voltará. Isso causou um impacto muito grande em 90% dos brasileiros (cariocas) fanáticos por futebol que faziam do estádio suas segundas casas. Mas o pior não é isso e sim o que somado a isto pode resultar em um futuro próximo.

Não é novidade que a seleção brasileira não encanta o país que representa. As promessas que não deram certo dentro de campo, um time jovem e, até então, inexperiente ou até mesmo a falta de um treinador de qualidade. São incontáveis as justificativas que surgem para tentar explicar a pior colocação no ranking de seleções da FIFA de nossa equipe principal. Mas o que parece ruim pode piorar. Copa do Mundo em casa. Quer um estímulo maior do que este para recuperar a confiança do país em sua seleção? E no primeiro jogo em casa, com o grupo que, possivelmente, mudará muito pouco para a competição mundial em 2014, um estádio que sempre foi o xodó brasileiro totalmente desfigurado. Tudo diferente daquele que encantou o Brasil e o mundo. Dentro do padrão. Essa é a expressão da moda. Maldita hora que este modismo chegou. Dói de ver uma infinidade de brasileiros vestindo a camisa da Inglaterra, em pleno Maracanã. Alguns em forma de protesto, outros desgostosos com nosso futebol, procurando outras equipes para admirar e torcer. Que diferença faz? Brasileiros optando pelo lado de lá. Quando foi que começamos a perder nossa torcida para nós mesmos? Estádio reformado que parece mais uma construção nova em um local diferente. Quase não dá pra acreditar que está ali o antigo "gigante de concreto". Talvez esteja bom para a nova geração, que joga PS3 escolhendo times estrangeiros, "jogando" no Santiago Bernabeu, Old Trafford e acha bacana aplaudir gringos como se fossem superiores quando, principalmente no jogo de hoje, estiveram longe de ser. Ontem éramos aplaudidos pelo mundo, hoje, aos poucos, perdemos nossa massa para lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário