quarta-feira, 19 de junho de 2013

Até breve, Japão


Sinceramente, em 21 anos de vida, este que vos escreve não se recorda de ter se emocionado tão fortemente com um jogo de futebol, em toda a vida, como emocionou-se na partida entre Itália e Japão pela segunda rodada da Copa das Confederações.

A Azurra, com toda sua tradição, venceu a equipe japonesa que, como típicos asiáticos, honraram a pátria e não pararam de buscar o objetivo pretendido um minuto sequer.

Talvez este não estivesse sendo um pensamento padrão, mas hoje mesmo, na partida entre Brasil e México, ficou a impressão de que esta Copa das Confederações está fria, sem sal, com poucos fatos fazendo valer os ingressos pagos pelos espectadores que prestigiam as partidas da competição.

 Se espera mais de um campeonato deste porte. Estava na hora de mudar.

Para surpresa de muitos, no início da partida o Japão encurralou a tradicional Itália, deixando Pirlo, Balotelli e Cia completamente submissos ao domínio japonês. Após sofrer dois gols, a seleção italiana sentiu, mas buscou a virada.

Neste momento houve quem sentisse pena dos japoneses. Cedo demais.

Jogando de igual para igual contra uma equipe tetracampeã do mundo, por diversas vezes realizaram linha de passe, colocaram os adversários na roda, empataram a partida e quase viraram. No fim pesou a camisa da Azurra, com méritos. Vitória italiana.

Infelizmente a seleção que veio do outro lado do mundo não tem maiores ambições  na próxima partida, contra o México. Mas ficou o orgulho em saber que os receberemos novamente na Copa do Mundo.

Nada de adeus, Japão. Até breve.

Nenhum comentário:

Postar um comentário