domingo, 16 de junho de 2013

Perdão para Balotelli



Grande jogo entre México e Itália, na tarde deste domingo, pela Copa das Confederações. Sorte de quem pôde acompanhar o confronto. Duas grandes equipes e, consequentemente, grandes jogadores. Dentre eles: Mario Balotelli. Marcado por um episódio recente desagradável, aos olhos dos críticos, aproveitou a oportunidade para se redimir.


Na última partida da seleção italiana antes da Copa das Confederações, nada mais que um amargo empate com a República Tcheca. Na ocasião, com dois cartões amarelos, Mario Balotelli foi expulso e saiu de campo distribuindo socos nas paredes do corredor de acesso ao gramado. Inevitavelmente os olhos do mundo todo voltaram-se para o atacante, discriminando tal atitude. Um jogador que tem em sua formação uma pitada de polêmica, uma medida cheia de talento e personalidade transbordando, é a receita perfeita para a mídia esperar a todo tempo que este indivíduo se envolva em fatos, no mínimo, curiosos. Nestes termos, nunca falha.  Um jogo após ser expulso e revoltar-se, talvez consigo mesmo, o atacante entrou em campo contra os mexicanos para se redimir. Novamente brigou, desta vez "na bola", na raça. Guardou o dele e garantiu os três pontos para a Itália. Mas não seria ele se somente fizesse um gol. Precisou tirar a camisa e levar cartão amarelo para não deixar dúvidas que é o mesmo Balotelli de sempre. Aos torcedores que durante a partida entre Itália e México, chegaram a xingar o italiano, restou aplaudi-lo no final. Está perdoado Mario. Mas cuidado para que, marcando dois gols, não seja suspenso por receber dois amarelos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário