quinta-feira, 17 de abril de 2014

Difícil entender


Desde que Charles Miller ensinou o povo brasileiro a jogar o novo esporte, que viria a se tornar paixão nacional, no Brasil, certamente foram iniciadas as gozações entre adeptos das diferentes equipes, mediante aos acontecimentos dentro de campo. Acontece que com o passar dos anos as torcidas, ao invés de desenvolverem o entendimento do que se passa nas quatro linhas, parecem ter desaprendido a arte da interpretação dos fatos.


 No último domingo presenciamos mais uma final polêmica entre Vasco e Flamengo, curiosamente válida pelo Campeonato Carioca, onde já foram vividos momentos épicos neste confronto.

 Como não lembrar do gol de Petkovic? E o que dizer da folclórica atuação de Cocada em 1988?

 Pois bem, quem dera que os últimos jogos também fosse marcados por estes símbolos, e não por um apito. Já virou moda, e até certo ponto chacota, o torcedor vascaíno reclamar da arbitragem em jogos contra o Flamengo.

 Muitas vezes com razão... outras nem tanto... e algumas delas questionáveis.

 Mas, o que impressiona é a alienação de alguns torcedores.

 De fato, o o gol do título carioca do Flamengo em 2014 foi irregular. Aliás, notoriamente irregular.

 "Mas foi falta do Éverton Costa no Felipe na primeira partida.", argumentam.

 Ok, ninguém está dizendo o contrário.

Na partida desta quarta-feira, contra o Resende, o Vasco foi prejudicado.

Logo depois, um lance para discussão em um pênalti marcado.

Sim, para discussão.

Não me venha falar que o Resende foi garfado, porque não dá para comparar um gol legal anulado com um pênalti, que neste caso é passível de interpretação.

Tudo bem, quem é campeão tem que comemorar. O torcedor nada tem a ver com o que acontece em campo.

Mas, dias depois, aproveitar uma situação para tentar justificar os erros da final estadual?

Nesta quarta-feira, ao mesmo tempo que disseram que o Resende foi garfado por que um erro não justifica outro, como podem argumentar sobre o gol do título estadual embasados em uma falta do atacante no goleiro, na primeira partida?

Não dá. Isso ultrapassa o fanatismo de meros torcedores.

Como dizem, esses torcedores não precisam desse tipo de coisa... ou precisam?

Não dá para entender.

Charles Miller, a vida foi legal com você. Te levou antes que você começasse a se arrepender de ter trazido o futebol pra nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário